De a Cesar o que é de Cesar


A César o que é de César é começo de uma frase atribuída a Jesus nos evangelhos sinóticos, onde se lê «Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.»(Mateus 22:21) (em grego: Ἀπόδοτε οὖν τὰ Καίσαρος Καίσαρι καὶ τὰ τοῦ Θεοῦ τῷ Θεῷ). O episódio aparece em Mateus 22:15-22, Marcos 12:13-17 e Lucas 20:20-26.

A frase, amplamente citada, se tornou uma espécie de resumo da relação entre o cristianismo a autoridade secular. Na mensagem original, ela apareceu como resposta a uma questão sobre se seria lícito para um judeu pagar impostos a César e dá margem a múltiplas interpretações sobre em que circunstâncias seria desejável para um cristão se submeter à autoridade terrena.

Bíblia

Os evangelhos sinóticos relatam como os adversários de Jesus tentaram ludibriar Jesus ao forçá-lo a tomar uma posição explícita (e perigosa) sobre a delicada questão do pagamento de impostos aos conquistadores romanos. Os relatos em Mateus e Marcos afirmam que esses adversários eram os fariseus e osherodianos, enquanto que Lucas diz apenas que eles eram “espiões” enviados por “doutores da lei e os sumo-sacerdotes”.

Eles previram que Jesus certamente se oporia ao imposto, pois sua intenção era que «pudessem entregar à jurisdição e à autoridade do governador» (Lucas 20:20). Este governador era Pôncio Pilatos e ele era o responsável por coletar os impostos na província romana da Judeia. A princípio, eles bajularam Jesus, elogiando sua integridade, imparcialidade e devoção à verdade. Então perguntaram-lhe se era ou não certo que um judeu pagasse um imposto demandado por César. Em Marcos, uma pergunta adicional, provocativa, ainda foi feita: «Pagaremos ou não pagaremos?» (Marcos 12:15).

Jesus primeiro os chamou de hipócritas e então pediu que um deles apresentasse uma moeda romana que pudesse ser usada para pagar o imposto de César. Um deles mostrou-lhe uma moeda romana e Jesus então perguntou qual era o nome e a inscrição que estava nela. Prontamente, eles responderam que era de César, ao que Jesus então proferiu a sua famosa frase:

«Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.» (Mateus 22:21)

Os questionadores ficaram impressionados (Mateus afirma que ficaram “maravilhados” – em grego: ἐθαύμασαν) e, satisfeitos, foram embora.

Evangelho de Tomé

No apócrifo gnóstico Evangelho de Tomé, há um episódio similar:

100. Mostraram a Jesus uma moeda de ouro e disseram: Os agentes de César exigem de nós o pagamento do imposto.Respondeu ele: Dai a César o que é de César, e dai a Deus o que é de Deus – e dai a mim o que é meu.

“Com isso, Jesus aconselhava os judeus a pagar os tributos e a não misturar o sagrado com os assuntos mundanos”, afirma a historiadora Ana Teresa Gonçalves, da Universidade Federal de Goiás. A frase mostra também a preocupação dos evangelistas do Novo Testamento em não ofender os romanos. Os livros de Marcos, Mateus, Lucas e João não foram escritos pelos próprios profetas, mas pelos seus seguidores. Isso aconteceu entre os anos 60 e 70, quando os cristãos eram perseguidos pelos romanos e lutavam para não provocá-los mais. O mais importante era difundir o cristianismo, mesmo que, para isso, fosse necessário dar a César o que era de César.

Contexto histórico

A moeda

O texto identifica a moeda como um denário (em grego: δηνάριονdēnarion)4 e geralmente se acredita que seria portanto um denário romano com a éfige de Tibério, que passou a ser conhecida como “moeda do tributo” e se tornou, por conta da história do evangelho, um cobiçado item para colecionadores . A inscrição éTi[berivs] Caesar Divi Avg[vsti] F[ilivs] Avgvstvs (“César Augusto Tibério, filho do Divino Augusto“). O reverso mostra uma figura feminina, geralmente identificada como sendo Lívia, representada como sendo a Pax.

Porém, já se sugeriu que o denário não era comumente encontrado na Judeia durante a vida de Jesus e que a moeda poderia ser, ao invés dele, uma tetradracma antioquiana, que também traz a éfige de Tibério, mas com Augusto no reverso . Outra sugestão comum é o denário de Augusto com Caio César e Lúcio César no reverso, enquanto que outras possibilidades incluem moedas de Júlio César, Marco Antônio e Germânico .

No episódio do Evangelho de Tomé, a moeda, por sua vez, é de ouro.

Moeda mostrando Tibério no anverso e a Pax no reverso.

fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/A_C%C3%A9sar_o_que_%C3%A9_de_C%C3%A9sar…

MEU FILHO É COMO UMA MOEDA DE DOIS LADOS,
SENDO UM LADO O DNA DA MÃE DELE O O OUTRO O DNA DO PAI
MAS NÃO DEVE SER UMA MOEDA DE TROCA,
DEVE SER COMPARTILHADA,
FOI FEITO POR CESAR ENTÃO DE A CESAR O QUE É DE CESAR!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s