Siriema


seriema_Foto_Carlos_Nader_Zoo_SP_FB-1

Seriema , sariema ou siriema é o nome vulgar dado às aves pertencentes à família dos cariamídeos (Cariamidae), da ordem dos cariamiformes (Cariamiformes). São aves de médio porte, terrestres, que preferem correr a voar. O grupo é nativo da América do Sul e habita zonas de pradaria ou florestas abertas.

Seriema. A ave, típica do Cerrado brasileiro. Esta ave tem cerca de 75 a 90 cm de comprimento (da ponta do bico até o fim da cauda) e pesar em média 1,4 kg, com pescoço e pernas razoavelmente magros e compridos e uma cauda longa.Ao voar, destacam-se as faixas claras e escuras de asas e da cauda.

Possuem a regidão da barriga mais clara, quase branca. Na cabeça surge na base do bico até a nuca penas suaves, que dão forma a um leque na cor cinza com preto.A seriema (Cariama cristata) possui cauda longa, plumagem cinza-amarelada, com riscos finos escuros, um pouco mais claras na região do abdômen, bicos e pernas vermelhas. As pernas são vermelhas ou laranjadas. Os machos têm por característica um tom mais escuro de cinza, enquanto as fêmeas são um pouco mais amareladas e mais foscas, ao contrário dos machos que tem as penas coloridas de um cinza prateado mais brilhante.

Siriema

Não há dimorfismo sexual referente ao tamanho (Machos e fêmeas tem o mesmo porte e altura médios), mas sim, à cor. As fêmeas são amareladas e mais foscas, ao passo que os machos tem a penugem colorida de um cinza prateado mais brilhante. Os olhos são amarelos.

Ambos possuem uma larga faixa clara, acima dos olhos, que faz contraste com o tom azulado da pele ao redor dos olhos e com o bico vermelho.Do tupi, siriema=pequeno nhandú, ou seriema=nhandú com crista.A crista é formada por um tufo de penas, com cerca de 10 cm, além de ser uma das poucas aves com pestanas. É conhecida também como seriema-de-pé-vermelho.

Embora sejam perfeitamente capazes de voar, preferem ficar a maior parte do tempo em terra. Só alçam voo quando necessário, como para fugir de um predador.  Em contato com os humanos, as seriemas são sempre desconfiadas e quando se sentem ameaçadas por eles, costumam abrir suas asas e enfrentá-los.

Andam em pequenos grupos ou com o companheiro. A Seriema tem o hábito de andar a procura de alimentos, só alça voo quando desconfia de algo ou se sente ameaçada por um predador. Durante a noite abrigam-se nas árvores, onde também constroem seus ninhos.

Reprodução

O ninho é construído numa pequena altura do chão, em árvores de pequeno porte (entre um e 5 metros), feito com gravetos e revestido de barro, folhas e estrume de gado, forrando o interior com folhas e lama a fim de garantir a temperatura adequada para incubação – revezada pelo macho e pela fêmea – e dura em média duas semanas.  A seriema pode ter postura de dois a quatro ovos, geralmente choca 2 ovos, entre 24 e 30 dias, cabendo essa tarefa exclusivamente à fêmea.  Os filhotes de Siriema nascem com uma penugem marrom, fina e longa na cabeça. Depois de duas semanas de nascido os filhotes começam a sair do ninho, levando cerca de 4 a 5 meses para adquirir a plumagem de adulto, cuja cor dominante é o cinza.

Alimentação

Seriema1

O cardápio da Seriema inclui todos os tipos de inseto (que ela mesma caça) e pequenos vertebrados, como lagartos, cobras, vermes e roedores, como também de cajuis e cajus do cerrado.Aceitam diferentes tipos de alimentos dados pelo homem, como grãos de milho e pedaços de pão. Andam em casais ou pequenos grupos. Mata as presas com o bico, uma vez que os dedos são pequenos e sem garras. Uma presa maior é desmembrada, pisando sobre ela e retirando pedaços com o bico poderoso. Graças ao hábito de comer cobras, é protegida pelos fazendeiros.

Curiosidade

Apesar de ser uma ave, a Seriema não gosta de voar, prefere correr. Sua velocidade pode chegar facilmente a 50 km/h, só então alçando voo. Mesmo assim, apenas em situações extremas, como quando caçada.

As seriemas também são o parente vivo mais próximo das extintas aves do terror, aves carnívoras pré-históricas que viveram entre 24 milhões de anos atrás a cerca de 2 milhões de anos atrás nas Américas.

Lar, doce lar

Sireima_2_REFON

É originária da América do Sul, seu habitat é nas regiões de pradaria, campos e cerrados, entrando no Pantanal através das áreas menos inundadas, florestas abertas, jardins residenciais, pastos e cafezais.

O Cerrado paulista se estende, em remanescentes fragmentados, por cerca de 1% de seu território original, em virtude do avanço das cidades e das áreas agropecuárias. Para protegê-lo, o Governo do Estado aprovou em 2009 a Lei do Cerrado, Lei Estadual nº 13.550, que visa proteger, conservar e recuperar o bioma, considerado um dos hotspots mais ricos e ameaçados do mundo. Uma característica peculiar do Cerrado é o seu sistema subterrâneo que evoluiu para captar a água de que precisa no lençol freático, situado a alguns metros da superfície. Isso faz com que o sistema subterrâneo também tenha capacidade de armazenar grandes quantidades de água e nutrientes, garantindo a sobrevivência em períodos de seca e, ainda, portar gemas reprodutivas que possibilitam a pronta rebrota da vegetação.

Canto da Siriema

Diz a lenda que o canto deste pássaro indica o final da época das chuvas. Tem no canto a sua principal característica. O canto da Seriema é o mais conhecido do Cerrado, podendo ser ouvido a mais de um quilômetro de distância. No campo, ouvir o canto da Seriema é chuva na certa.

Seus gritos, seja de uma ave sozinha ou do casal, são altos e longos. Parecem longas risadas, as quais vão acelerando-se e aumentando de tom à medida que a ave repete o canto. O canto é descrito como um latido ou com o cacarejar de perus. Pode permanecer gritando por vários minutos seguidos. Na parte mais alta da música, a Seriema dobra o pescoço, de modo que a cabeça encosta nas costas. Os filhotes a partir da 2 semana de vida já começam a cantar.

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Cariamiformes
Família: Cariamidae
Gênero e espécie
  • Cariama
    • Cariama cristata

Escute  canto aqui em MP3: Canto da Siriema

Oh! Siriema do Mato Grosso
Teu canto triste me faz lembrar
Daqueles tempos que eu viajava
Tenho saudade do teu cantar (2x)

Maracaju, Ponta-porã,
Quero voltar ao meu sertão
Rever os campos que eu conheci
E a siriema, eu quero ir

Oh! siriema, quando tu cantas
de Mato Grosso a saudade vem
Oh! siriema quando tu choras e vai embora
Eu chorava também

Maracaju, Ponta-porã,
Quero voltar ao meu sertão
Rever o campos que eu conheci
Oh! siriema, eu quero ir

Outra música.. Canta canta siriema Andresa Lourenço!

Leo hunter

fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Seriema

http://www.ambiente.sp.gov.br/2015/09/18/afinal-e-seriema-ou-siriema/

http://passarossilvestres.com/siriema/#forward

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s