Andresa nunca deixou o filho conhecer os avós paternos


O PAPEL DOS AVÓS

O papel dos avós na educação dos netos tem vindo a mudar ao longo das épocas em parte como resultado da evolução no comportamento das novas gerações e em parte como resultado das mudanças sociais. A redução no tamanho da família alargada é uma das consequências mais importantes destas mudanças e pode reflectir-se em dificuldades no exercício da parentalidade. Entre nós a participação dos avós na educação dos netos continua a ser importante.

O papel dos avós na infância dos netos manifesta-se muito para além de uma função de guarda. A continuidade da família e a harmonia entre as gerações são tranquilizantes para os mais novos.
Os avós revivem nos netos a infância dos filhos. Transmitem – lhes ensinamentos que revelam uma sabedoria feita de experiencia e que os surpreende. São educadores por prazer, não por dever ou por missão
As relações das crianças com os avós são muitas vezes menos tensas do que com os pais e inspiram mais segurança. Talvez por isso as crianças procuram por vezes a protecção e o conforto dos avós quando estão em conflito com os pais.

A função de guarda dos avós continua a ser um apoio importante. Em muitas famílias os netos ficam com os avós nas férias, quando os pais se ausentam ou até quando estão profissionalmente ocupados. Neste último caso o apoio pode corresponder a uma poupança por parte dos pais.
Durante a escolaridade muitos avós ajudam nos trabalhos de casa, quase sempre de uma forma mais serena do que os pais, porque não estão ansiosos em relação ao sucesso académico dos netos e dispõem de mais tempo.

Esta proximidade entre pais e avós e o seu envolvimento simultâneo na educação das crianças pode dar origem a colisões. São de evitar conflitos entre avós e pais na presença dos filhos. Se existem contradições, devem ser discutidas sem que eles oiçam mas nunca negadas perante uma pergunta. A regra de oiro para o sucesso dos avós deve ser nunca intervir em questões de autoridade na presença dos pais. É importante que não desautorizem uma decisão materna ou paterna. Isso poderá levar a um enfraquecimento da autoridade dos pais. Se a diferença de opiniões for grande devem manifestá-la noutra ocasião, na ausência dos netos, e esperar então a mudança desejada. É uma postura que pode ser difícil porque há sempre diferenças de opinião entre gerações.

Há quem pergunte se, caso haja essa opção, os avós substituem com vantagem a escola antes dos três anos. Uma vantagem óbvia é evitar os contágios que a exposição às outras crianças acarreta. Outra é ser objecto da atenção não dividida dos avós e do seu afecto. Em contra partida há quem tema que o meio mais resguardado e menos estimulante dos avós atrase o desenvolvimento dos netos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s