Quanta baleia


Guantanamera

Raices de América

Guantanamera, guajira guantanamera
Guantanamera, guajira guantanamera

Yo soy un hombre sincero
De donde crece la palma
Yo soy un hombre sincero
De donde crece la palma
Y antes de morir me quiero
Echar mis versos del alma

Guantanamera, guajira guantanamera
Guantanamera, guajira guantanamera

Mi verso es de un verde claro
Y de un carmín encendido
Mi verso es de un verde claro
Y de un carmín encendido
Mi verso es un ciervo herido
Que busca en el monte amparo

Guantanamera, guajira guantanamera
Guantanamera, guajira guantanamera

Por los pobres de la tierra
Quiero mis viersos dejar
Por los pobres de la tierra
Quiero yo mis viersos dejar
Porque arroyo de la cierra
Me complace más que el mar

Guantanamera, guajira guantanamera
Guantanamera, guajira guantanamera

Yo soy un hombre sincero
De donde crece la palma
Yo soy un hombre sincero
De donde crece la palma
Y antes de morirme quiero
Echar mis versos del alma

Guantanamera, guajira guantanamera
Guantanamera, guajira guantanamera

.


TRADUÇÃO PORTUGUESA

GUSTAVO MORAES

Quanta baleia, amigo quanta baleia, 

Quanta baleia, amigo quanta baleia, 

Eu sou um homem sincero, de onde crescem as palmas..

biz…

E antes de morrer eu quero, que estes versos entrem na suas pobres almas

biz…

Meu verso é um verde claro, 

A dona Carmem  incendiada

Meu verso é de um homem ferido

Que busca ajuda nos montes

Quanta baleia, amigo quanta baleia, 

Quanta baleia, amigo quanta baleia, 

Eu quero compartilhar meu sofrimento,

com os humildes do mundo,

Um pequeno monte sem pai,

me deixa mais feliz,

do que uma baleia no oceano

Quanta baleia, amigo quanta baleia, 

Quanta baleia, amigo quanta baleia, 


DSC01768

GUANTANAMERA

Sérgio Reis

Guantanamera
Querida, guantanamera (bis)Eu sinto tanta saudade
Daquele amor tão bonito
deixou lembranças marcantes
Neste meu peito doído
Se ela ouvisse o meu canto
Voltava ao rancho comigo

Guntanamera

Por ser um homem sincero
Confiante, eu disse pra ela
Que tinha outros valores
Os sonhos da minha vida
Entre sorrisos e prantos
Sem um adeus foi embora

Se eu pudesse voltar
Ao dia que ela foi minha
Faria tudo de novo
E só de amor viveria
Mas odestino inclemente
Tirou-a da minha vida.

Guantanamera

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s